Laura Muller

Notícias

“Folha de S. Paulo”: HIV e sífilis preocupam apesar dos tratamentos

postado em 25/09/2017 17:14 / atualizado em 01/11/2017 16:51
Por: Laura Muller

O tratamento da sífilis e do HIV é oferecido gratuitamente pelas autoridades da saúde em centros de atendimento de DST (doenças sexualmente transmissíveis).

A presença da reinfecção por sífilis, entretanto, vem sendo assinalada de forma preocupante, assim como com a presença concomitante do HIV nesses pacientes.

Em pesquisa publicada na “Revista de Saúde Pública”, da Faculdade de Saúde Pública da USP, Valéria Correa de Almeida e os colaboradores Maria Rita Donalisio e Ricardo Cordeiro analisam a ocorrência e a reinfecção da sífilis em adolescentes e adultos de ambos os sexos.

No período entre 2004 e 2012, a sífilis representou 32,5% do total de 3.106 casos de doenças sexualmente transmissíveis tratados em um centro de referência.

Praticamente 69,3% das pessoas diagnosticadas com sífilis não apresentavam sintomas ou queixas (sífilis latente). O portador dessa forma de infecção que não for tratado ainda jovem ou adulto, terá a doença evoluindo por alguns anos até a fase de neurolues ou neurossífilis, caracterizada por alterações neurológicas que podem ser confundidas com problemas circulatórios cerebrais ou em idosos com a doença de Alzheimer.

Os autores assinalam que o HIV agora é considerado uma doença crônica e estável, o que pode ter levado a uma redução nos cuidados com as DST. Por isso, acrescentam, as campanhas de prevenção da transmissão do HIV deveriam incorporar de forma agressiva a prevenção das outras infecções transmitidas sexualmente.

 

Fonte : Agência Aids




Veja também